parque municipal

Belo Horizonte vai se transformar, durante o meses de setembro e outubro, na Capital Mundial da Água. BH foi a única cidade selecionada para ser a anfitriã do evento preparatório para o 8º Fórum Mundial da Água, que acontece em março de 2018, em Brasília, pela primeira vez no Brasil. A primeira ação acontece amanhã (1º) e vai iluminar de azul monumentos públicos como a Praça da Bandeira, Praça da Estação, Pirulito da Praça Sete e Praça da Liberdade para celebrar a Capital Mundial da Água.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Mário Werneck, a ação é um evento preparatório para o Fórum Mundial da Água. “Teremos a oportunidade de levar nossa cidade para a discussão em âmbito mundial sobre a água. Somos um Estado riquíssimo em recursos hídricos e teremos a oportunidade de compartilhar com a comunidade internacional tudo isso”, disse o secretário.

Atividades em outubro

O Fórum Mundial da Água está na sua 8ª edição e tem como objetivo promover o diálogo para influenciar o processo decisório sobre água no nível global, visando aproveitamento racional, e sustentável deste recurso.  A Prefeitura de Belo Horizonte, em parceria com a Fiemg e Governo de Minas, realizam, durante os dias 6 e 7 de outubro, uma série de atividades e discussões com o tema água.

No dia 6 de outubro, a sede da Fiemg recebe a abertura do evento com participação de autoridades municipais. Durante a tarde um seminário sobre a água será feito, com desdobramentos na área da mineração, energia, cidade e  do desenvolvimento sustentável na Bacia do Rio Doce, além  abordagem da água como recurso hídrico.  No sábado, dia 7, a programação será na Praça da Liberdade: apresentações culturais, lúdicas e informativas junto com crianças da rede municipal de educação e também com o público fazem parte da programação.
8º Fórum Mundial da Água

Brasília receberá, nos dias 18 a 23 de março de 2018, o 8º Fórum Mundial da Água, com o tema a água sob a perspectiva da sustentabilidade. O evento acontece pela primeira vez no Hemisfério Sul e reúnirá mais de 300 organizações e 50 países. Criado em 1996, o Fórum, evento mais importante com a temática água, é organizado pelo Conselho Mundial da Água a cada três ano.

Com Prefeitura de Belo Horizonte

superpanoramica_bh

Belo Horizonte, Nova York e Paris disputam, nesta semana, um importante reconhecimento internacional. As três cidades são finalistas do Prêmio das Cidades do C40, que integra a programação 6ª da Cúpula Anual de Prefeitos da C40, um grupo de grandes cidades que se juntaram para buscar transformações no clima global.

BH e as duas metrópoles internacionais estão na final da categoria Planos de Adaptação/Estudos e Análises. O anúncio da cidade vencedora será feito na próxima quinta-feira, dia 1º de dezembro, durante cerimônia na Cidade do México. Belo Horizonte é a única cidade brasileira concorrendo na final de uma das dez categorias do Prêmio C40.

A capital mineira concorre pelo projeto “Análise de vulnerabilidade às mudanças climáticas do município de Belo Horizonte”, desenvolvido pela Prefeitura, em parceria com a Way Carbon Soluções Ambientais e Projetos de Carbono, a Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

O trabalho faz uma análise completa dos impactos da mudança do clima na capital mineira, a fim de identificar pontos fracos de BH e propor mudanças. Com o estudo, a Prefeitura de BH pode traçar prioridades nas medidas de redução aos impactos causados pelas mudanças climáticas.

Para conhecer mais sobre o Prêmio das Cidades C40, acesse o site oficial do evento (em inglês).

20150925092728606150e

Belo Horizonte irá sediar, entre os dias 26 e 30 deste mês, o 20º Congresso Brasileiro de Arborização Urbana, que será realizado em conjunto com o 1º Congresso Latino Americano da Sociedade Internacional de Arborização Urbana (ISA). O evento será promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, (SMMA), em conjunto com a Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU) e a ISA.

O congresso reunirá palestras, painéis e minicursos ministrados por profissionais brasileiros e estrangeiros, que irão discutir temas como resiliência, conexões urbanas, arbornegócio, arborização urbana, pragas e avaliação de risco em árvores, entre outros. Além disso, a programação conta com o 7º Campeonato Brasileiro de Escalada em Árvores. Os interessados em participar do congresso podem se inscrever pelo site www.cbau2016.com.br, onde também pode ser conferida a programação do evento.

 

20160518_093334_HDR-1-1024x576

Belo Horizonte se mantém na primeira posição do ranking do Connected Smart Cities, na categoria Meio Ambiente. O estudo avaliou 700 municípios brasileiros. Esta é a segunda edição da pesquisa, que foi divulgada esta semana pelas empresas Urban Systems e Sator, no evento Connected Smart Cities 2016, que acontece no Rio de Janeiro (RJ). Foram analisados 11 setores estratégicos das cidades: mobilidade e acessibilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, saúde, educação, empreendedorismo, governança, economia, segurança e energia. De acordo com os coordenadores do estudo, a cidade é considerada inteligente quando consegue aliar os mais diferentes setores em prol do desenvolvimento.

A capital paulista ficou com a primeira posição geral do ranking, considerada a cidade brasileira com maior potencial de desenvolvimento em 2016. Belo Horizonte aparece na quinta colocação. Os dados ainda estão sendo disponibilizados, mas os indicadores de Meio Ambiente que destacam a capital mineira pelo segundo ano consecutivo se referem à mobilidade e energia, além de outras iniciativas que trazem impactos ambientais positivos.

*Ranking das cidades mais inteligentes do Brasil

1º – São Paulo
2º – Rio de Janeiro
3º – Curitiba
4º – Brasília
5º – Belo Horizonte
6º – Vitória
7º – Florianópolis
8º – Barueri
9º – Recife
10º – Campinas

*Fonte: Agência Brasil